Refluxo: um mal estar que pode ser combatido | Naturallis
refluxo

Refluxo: um mal estar que pode ser combatido

Para entender o que é o refluxo, vamos lembrar de situações comuns do dia a dia. Quem nunca teve aquela sensação de que comeu demais e sentiu a comida voltando? Esse é um caso fisiológico. Em outras palavras, faz parte do funcionamento normal do nosso corpo.

No entanto, algumas pessoas sentem isso com frequência. No mais, é comum também sentirem uma queimação no esôfago. Quando isso acontece, geralmente a pessoa tem a Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE). Esse mal pode durar por muito tempo, mas é possível tratar seus sintomas.

Como e por que acontece o refluxo?

Sabe aquela sensação de azia? Então… ela acontece quando o conteúdo do estômago, geralmente bem ácido, vai pelo caminho contrário. Daí o nome refluxo (o “re” vem de retrógrado, que significa contrário). Quando chega nas células do esôfago, esse ácido não é bem-vindo. Isso porque ele corrói o espaço entre as células e passa entre elas. Então, quando chega em terminações nervosas, ocorre a sensação de mal-estar.

Mas, como a comida volta? Antes de mais nada, vale lembrar: nosso corpo tem ferramentas para impedir que isso ocorra. Contudo, elas nem sempre funcionam da forma certa. Dentre elas, há válvulas que deixam o bolo de comida passar só em uma direção: da boca até o reto. Além do mais, para ajudar, cada parte do esôfago se contrai de forma ordenada, o que é chamado de onda peristáltica. Isso leva o bolo de comida na direção certa.

Então, quando uma ou mais dessas partes tem um defeito, é aí que se manifesta o refluxo.

Outros sintomas do refluxo

Primeiramente, é importante falar sobre alguns sinais de alarme que podem indicar refluxo:

  • a dificuldade ou dor em engolir; isso pode vir de um estreitamento do esôfago, que também causa refluxo;
  • dor ou queimação na parte alta do abdome;
  • perda de sangue gástrica ou intestinal;
  • náuseas ou vômitos intensos.

Ademais, outros sintomas podem se manifestar, tais como:

  • a voz rouca ou o excesso de muco na garganta;
  • o desgaste no esmalte dos dentes, o mau hálito e as aftas.

Aliás, há sintomas que muitos nem desconfiam que podem ser causados por refluxo. Dentre eles, por exemplo, estão os seguintes problemas de saúde:

  • dor no tórax, que pode irradiar para a mandíbula, o pescoço, o dorso e os braços;
  • sinusite crônica;
  • dor de ouvido ou de garganta com frequência;
  • tosse de longa duração.

Algumas mudanças que fazem a diferença

Apesar de alguns casos serem difíceis de tratar, a maioria das pessoas tem melhora a partir de uma mudança de hábitos, como:

  • subir a cabeceira da cama em 15 cm;
  • fugir de alimentos muito gordurosos;
  • evitar café, álcool, refrigerante, menta, cítricos e produtos de tomate;
  • não se deitar logo depois da refeição;
  • comer porções pequenas de comida e várias vezes ao dia;
  • cuidar do peso, pois o sobrepeso é um fator de risco.

No entanto, às vezes só isso não é o suficiente. Mas não se preocupe. Existem outros recursos que podem ajudar. Além de outros remédios, podemos contar também com o uso de plantas. Uma delas, por exemplo, é a Espinheira-santa.

Como a Espinheira-santa pode ajudar?

Essa planta é nativa do sul do Brasil. Seu nome vem do fato de que suas folhas têm bordas com espinhos e propriedades medicinais. Isso acontece devido às várias substâncias químicas presentes em suas folhas. Por conta disso, essa planta é capaz de:

  • diminuir dores e inflamações;
  • impedir a infecção nas lesões da mucosa;
  • diminuir a acidez do estômago, formando uma camada protetora em sua parede;
  • proteger contra úlceras.

Por isso, a Espinheira-santa é muito bem-vinda no combate aos sintomas do refluxo.

De qualquer forma, é muito importante manter as consultas médicas em dia. Nelas, você vai poder conversar e entender melhor o que está acontecendo no seu corpo. Assim, vai poder buscar os recursos mais adequados para se cuidar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *