Maternidade e quarentena: menos julgamento e mais escuta | Naturallis
maternidade e quarentena

Maternidade e quarentena: menos julgamento e mais escuta

Ser mãe está longe de ser uma tarefa fácil. E manter o isolamento social tão pouco. Daí, quando juntamos maternidade e quarentena, o resultado não é dos melhores. Isso é o que mostram diversas pesquisas: a saúde mental de muitas mulheres sendo posta em jogo.

Se já era difícil conciliar os cuidados com as crianças com outros trabalhos, imagina, então, fazer isso sem contar com as redes de apoio. Fossem escolas, centros de recreação ou esportes, ou mesmo um revezamento entre mães. Tudo isso saiu de cena com a chegada da pandemia.

Maternidade e quarentena: as contas não fecham

Mais do que uma força de expressão: nesse caso, as contas a pagar também não fecham. Isso porque muitas mães perderam seus empregos por conta da pandemia. Além disso, muitas das que não perderam, também sofrem com a ansiedade e o estresse vindos com a crise sanitária.

É verdade que as mães não são as únicas que beiram um burnout. Mas estão no grupo mais vulnerável quanto à saúde mental nesse período.

Gestantes, puérperas e mães, em geral, passam por constantes alterações hormonais. Sem falar nas mudanças de rotina, que não podem ser totalmente controladas quando se tem uma criança em casa. Por isso, elas têm mais chances de apresentar quadros de ansiedade e depressão.

Mas e a saúde mental dos pais?

É claro que a família sofre como um todo por conta da reviravolta que esse vírus causou. Mas acontece que grande parte das famílias, pelo menos no Brasil, não têm a figura do pai presente.

E ainda, mesmo quando o pai “cumpre o seu dever”, em muitos casos existe a cultura do pai como mero provedor. E todo o peso dos cuidados da casa e dos filhos acaba ficando sobre a mãe.

Como dar conta da combinação maternidade e quarentena?

Aí é que está um ponto importante: a mulher não ter que dar conta! Pelo menos não sozinha. E não do jeito romantizado em que muitos enxergam a maternidade.

Não bastasse o caos no meio do qual, muitas vezes, a mãe tem que engolir o choro pra conseguir dar suporte emocional à criança, ainda sofre a pressão cultural de ter que ser perfeita. Ou seja, o par maternidade e quarentena carrega pesares que vão além da correria do dia a dia. Pois ainda se somam as frustrações e os julgamentos que vêm de um ideal do que é ser mãe.

Como a combinação maternidade e quarentena pode ser menos prejudicial às mães

É aí que entra a escuta e o validar dos sentimentos. Ou seja, quando presenciar alterações de humor constantes de uma mãe, faz muito bem escutar o que elas estão sentindo. E, principalmente, não diminuir esses sentimentos. Não fazer comparações do tipo “Ah, mas tem tanta gente pior. Devia agradecer que tem o que comer.”

Não é vendo o outro sofrer que vai doer menos na gente. Por outro lado, o apoio e a escuta são indispensáveis. E, é claro, a compreensão por parte dos empregadores, e a presença e a colaboração efetiva do pai são urgentes para que a mãe se mantenha minimamente saudável. Com ou sem a quarentena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *