Gordura no Fígado: O Que é e Como Tratar? | Naturallis
tratamento para gordura no fígado

Gordura no Fígado: O Que é e Como Tratar?

A gordura no fígado é uma condição que afeta 30% da população. Entretanto a maior parte das pessoas afetadas, são mulheres, além disso ela pode acontecer também durante a infância.

Esse problema de saúde acontece quando as células do fígado são infiltradas por células de gordura. Certamente que é algo normal ter a presença de gordura no fígado, porém é preciso atenção quando o índice chega à 5%, e o tratamento deve ocorrer o quanto antes.

Fatores de riscos:

  • Sobrepeso
  • Diabetes
  • Má nutrição
  • Perda brusca de peso
  • Gravidez
  • Cirurgias
  • Sedentarismo

Entretanto, em um número bem menor de casos, pessoas magras, que não consomem bebidas alcoólicas e que não têm alterações de colesterol e glicemia, podem desenvolver quadros de esteatose hepática gordurosa.

Sobretudo esses fatores podem criar uma pré disposição para o aumento da gordura no fígado, ou como é chamada, esteatose hepática. Além disso pessoas que fazem o consumo de álcool regular também apresentam risco. Ou seja, pessoas que fazem o consumo de álcool, regular ou não, têm mais tendências para desenvolvimento da Esteatose Hepática.

Já no caso das mulheres, elas apresentam um risco maior de desenvolver excesso de gordura no figado, devido ao estrógeno, que é produzido naturalmente pelo organismo feminino e propicia o aumento dessa gordura.

Outro fator de risco são pessoas com ascendência oriental ou hispânica.

Como diagnosticar, sintomas de gordura no fígado

A Esteatose Hepática, nos quadros leves, não apresenta sintomas específicos. Em contrapartida, em quadros intermediários a pessoa percebe os seguintes sinais:

  • Dor no abdômen.
  • Cansaço.
  • Fraqueza.
  • Perda de apetite.
  • Aumento do fígado.
  • Barriga inchada.
  • Dor de cabeça constante.

Enquanto que nos estágios mais avançados da doença, a principal característica é a inflamação e a fibrose que resultam em insuficiência hepática. Nessas situações os sintomas mais comuns são:

  • Acúmulo anormal de líquido dentro do abdômen.
  • Doenças no encéfalo.
  • Confusão mental.
  • Fadiga.
  • Hemorragias.
  • Queda no número de plaquetas sanguíneas.
  • Icterícia (pele e olhos amarelados).
  • Fazes sem cor.
  • Alterações do sono.
  • Mudanças na coagulação.
  • Inchaço dos membros inferiores.
  • Aumento rápido do volume abdominal.

Prevenção da gordura no fígado

A prevenção não apenas é a melhor alternativa quando se tem ou não fatores de riscos. Como também ajuda nos casos em que a doença ainda não foi diagnosticada. Por isso é importante ter atenção em alguns detalhes para manter a saúde e evitar o acúmulo de gordura no fígado. Esteja atento às medidas da circunferência abdominal, que não devem ultrapassar 88 cm nas mulheres e 102 cm nos homens. Por outro lado, mesmo quando estiver acima do peso, cuidado com dietas restritiva em excesso, o rápido emagrecimento pode piorar um quadro de esteatose hepática.

A alimentação é a vilã mas também pode ser uma grande aliada na prevenção. Restrinja o consumo de carboidratos refinados, gorduras saturadas e bebidas alcoólicas. Alguns alimentos podem ajudar, é o caso do própolis, abacaxi, maçã, gengibre, escarola, rabanete, frutas vermelhas, salmão e azeite. E o mais importante, beba muita água durante o dia.

A ciência vem estudando diversos compostos naturais que podem ajudar na prevenção e na redução da gordura no fígado. Esse é o caso da Silimarina. Ela impede a peroxidação dos lipídeos da membrana celular e das organelas dos hepatócitos. Isso faz com que ela proteja a integridade hepática de possíveis substâncias tóxicas.

A Silimarina também acelera a síntese protéica. É utilizada no tratamento de hepatopatias crônicas, cirrose, esteatose e lesão hepatotóxicas, produzindo melhora dos sintomas clínicos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *