O impacto de transtornos alimentares na saúde da mulher | Naturallis
transtornos alimentares

O impacto de transtornos alimentares na saúde da mulher

A rotina de uma mulher, quando influenciada por expectativas quanto ao próprio corpo, podem deflagrar desordem de imagens. Esse fato, por sua vez, é mediado inclusive pelo ideal de beleza que foi firmado nas últimas décadas. Esse tipo de desordem podem levar a transtornos alimentares que prejudicam sua saúde.

Mas porque isso influencia principalmente a saúde da mulher? Vale mencionar que essa pressão pelo corpo ideal é menos pesada sobre os homens. É claro que esses transtornos também pode acontecer com homens, mas apenas 10% dos casos relatados são neles. Ainda assim, pode ser que outros fatores particulares às mulheres também funcionem como estímulos à esse risco adicional de desenvolver anorexia e afins, assim como idade, cultura e ambiente familiar.

Em 2013, a cada dois dias, uma pessoa foi internada por anorexia ou bulimia nos hospitais que atendem pelo SUS (estado de São Paulo), totalizando no primeiro semestre, 97 internações.

Principais transtornos alimentares de risco

A bulimia é um distúrbio caracterizado pela ingestão de grande quantidades de alimentos com alto teor calórico, seguido de indução de vômitos, uso de laxativos ou jejum prolongado. As mulheres com bulimia geralmente seguem dietas rigorosas e em determinado momento, perdem o controle ao consumirem alimentos fora da dieta e automaticamente são tomadas por sentimentos de remorso.

Outro distúrbio é a anorexia nervosa e o que a difere da bulimia é o consequente estado de extrema desnutrição, típico de pacientes anoréxicos. Esta patologia é resultante da preocupação demasiada com o peso, podendo provocar problemas psiquiátricos preocupantes. A cada homem com anorexia, 9 mulheres sofrem com esse distúrbio de imagem. A taxa de mortalidade pode chegar a 20% dos casos, pois os portadores alcançam um grau extremo da desnutrição rapidamente.

O transtorno da compulsão alimentar é o consumo de uma grande quantidade de alimento em um curto período de tempo. Ocorre pelo menos um dia por semana durante três meses. É associado à culpa, vergonha, arrependimento e baixa autoestima.

Ortorexia é uma obsessão em comer apenas “alimentos considerados saudáveis” como alimentos in natura. Geralmente é associada a dietas da moda e tem uma definição bastante rígida do que é comer de forma saudável.

A alimentação tem um papel de melhorar a qualidade de vida física e mental. Por isso, deve ser individualizada de acordo com o ciclo de vida da mulher: infância, adolescência, vida adulta, fase gestacional e senescência.

Nos últimos anos vem surgido alguns movimentos que visão valorizar a beleza de cada biotipo, tentando minimizar a quantidade de pessoas atingidas por transtornos alimentares, mas ainda há um longo caminho pela frente, e a saúde dessas mulheres ainda precisarão ser acompanhadas de perto, reduzir a pressão estética sobre elas no ambiente social e familiar é fundamental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *